Existe?

Aos poucos leitores que ainda me restam:

Inexiste realidade

Advertisements

Renascimento da Fenix

Contemplem o texto de meu grande amigo Felipe Costenaro

Quando a Fênix está para morrer,
Ela é consumida pelo fogo.
Renasce, então, das cinzas –
Para viver uma nova jornada.

Há tempos que estou queimando;
Há tempos que estou morrendo.
Mas eu não posso renascer
Enquanto meu fogo não se tornar cinzas.

Mais uma vez estou abrindo as minhas asas,
Alçando vôo para o encontro com o destino.
É a chance de, das cinzas, eu renascer!
É o risco de meu fogo crescer…

Decidi não pensar… somente voar!
Que o destino faça o seu querer!
Que eu continue a queimar!
Até renascer!

Para quem quiser conhecer o autor:
http://www.facebook.com/felipe.costenaro.5

São Paulo

Em São Paulo tudo começa
Você conhece o mundo
É tudo como uma peça
E geral aqui é moribundo
Pena que é real
O cotidiano é suícida
O cotidiano é genocida
E tudo é uma prova
De que você é ou não é leal
Parece nova
Mas tem uns anos
Todo dia de Rio Grande
Até o brás
Passo em frente a febém
Ergo a cabeça
E não volto atrás
Vou sempre além
São paulo é assim
Mas é tudo pra mim
Guardo a cidade no coração
E aqui é um louco mundão
O estilo urbano me corrompeu
E nem meu crânio mais é meu
E acha que o seu é seu?
Aqui é pa pum
Assalto, morreu
E nessa louca gigante, fudeu
Eu sou só mais um!

Metamorfose

O poeta muda, mas nunca larga o lirismo! Contemplem:

Metamorfose

Até mesmo o coração mais de
pedra
Amolece perante um lindo
sorriso

Até mesmo o homem mais
rígido
Se torna bondoso perante um
gracejo

Até mesmo o mais sem
sentimento
Se deslumbra com um sensual
rebolar

O mais lutador
Abaixa a espada
O mais frio
Se torna quente
O mais parado
Se torna um sambista nato

Gracejos, rebolares, olhares
Uma mulher transforma um homem
E eu, fui transformado
Não, não por uma mulher
Mas pela melhor
A do melhor sorriso
A do melhor gracejo
A do melhor rebolar
Mas principalmente,
a do melhor olhar!