São Paulo

Em São Paulo tudo começa
Você conhece o mundo
É tudo como uma peça
E geral aqui é moribundo
Pena que é real
O cotidiano é suícida
O cotidiano é genocida
E tudo é uma prova
De que você é ou não é leal
Parece nova
Mas tem uns anos
Todo dia de Rio Grande
Até o brás
Passo em frente a febém
Ergo a cabeça
E não volto atrás
Vou sempre além
São paulo é assim
Mas é tudo pra mim
Guardo a cidade no coração
E aqui é um louco mundão
O estilo urbano me corrompeu
E nem meu crânio mais é meu
E acha que o seu é seu?
Aqui é pa pum
Assalto, morreu
E nessa louca gigante, fudeu
Eu sou só mais um!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s